fbpx
Notícias

Movimento no Algarve procura travar o 5G na região e no país

Movimento no Algarve procura travar o 5G na região e no país – Mundo Smart - mundosmart

Depois de vários problemas relacionados com o 5G, principalmente em Inglaterra, com a vandalização de postes de telecomunicações, agora chega a Portugal um novo movimento contra o noto protocolo de rede móvel.

Chama-se “Stop 5G Algarve” e assume-se como um movimento de cidadãos de âmbito regional e que exige “uma discussão pública, séria e informativa, baseada em ciência isenta”, alertando para os riscos dos efeitos não térmicos da radiação eletromagnética artificial polarizada.

Segundo o que se pode ler na sua página oficial do Facebook, “Pedimos o bom senso dos autarcas algarvios, no sentido de integrar as evidências e proteger os algarvios e a região da danosa tecnologia 5G e do aumento geral da poluição eletromagnética”.

Este movimento que procura a suspensão de acordos de instalação de infraestruturas 5G tem para já duas ações marcadas na região do sul do país, com datas marcadas para dia 30 de maio e 6 de junho, de movo a dinamizar a questão com os vários cidadãos a partir da distribuição de flyers informativos.




Para além disso foram também enviados comunicados a organizações públicas como a ANACOM, reguladora nacional das telecomunicações, vários municípios e estabelecimentos de ensino da região.

“Há mais de cinco décadas que estudos médicos e científicos comprovam os efeitos negativos imediatos, mas também cumulativos da exposição humana à radiação eletromagnética artificial, mesmo a baixos níveis”, refere o movimento, apontando efeitos biológicos ao nível da saúde humana como dores de cabeça, disrupções do sistema digestivo e cardiovascular, patologias neurológicas, infertilidade, depressão ou suicídio, entre outras.

No caso do Reino Unido, foram vários os casos de vandalismo a infraestruturas 5G, tendo os mais graves sido a destruição de postes por incêndios, para além de ameaças a vários técnicos que estavam a instalar as mesmas.

Teorias sobre o 5G e o COVID-19 levam a um maior número de ataques no Reino Unido




Comment here